Costura e culinária viram cursos para crianças a partir de 3 anos em SP

Posted under Crianças na cozinha, Gastronomia

Julia e Gabriel fazem cookies na aula da Mini Gourmet (Foto: Juliana Cardilli/G1)

Aulas estimulam contato com a família e organização de meninos e meninas.
Projetos ficam prontos em uma aula; eles sempre levam amostras para casa.

Juliana Cardilli Do G1 SP

Cozinhar e costurar são habilidades que antigamente eram aprendidas pelas crianças em casa, com suas mães e avós. Com o passar dos anos, elas se tornaram tema de cursos para adultos que não tiveram o ensinamento na infância ou queriam se aperfeiçoar. Agora, em São Paulo, famílias que não têm tempo ou a habilidade para ensinar podem colocar seus filhos em cursos de gastronomia e costura, que começam a ganhar a preferência da garotada frente aos tradicionais balé, natação e curso de inglês.

Pensada para parecer uma sala de costura na casa da vovó, a Love Blankie, que fica na Vila Nova Conceição, Zona Sul da capital paulista, promove aulas particulares de costura. Delas, as pequenas alunas já saem com um projeto pronto. A dona, Fernanda, resolveu montar o local após perceber o interesse de sua filha pela costura e não encontrar nenhum curso do tipo no Brasil.

“Fui para o exterior e comecei a pesquisar. Quis fazer uma boutique de costura para meninas. É pequeno, mas de um jeito doce, aconchegante. Tudo fica à mostra, ao alcance delas, elas podem mexer, escolher o que querem. Eu não dou palpite nas cores, modelos, só digo se dá para fazer ou não. Eu entro na onda delas, é o que elas querem fazer”, conta.

Hoje são 18 alunas, e já há lista de espera. Uma das mais animadas é Maria Elisa Tannure, de 6 anos. “Ela já costurava com a minha mãe, que tem uma loja. Quando falei para ela daqui, ela quis na hora. Ela pode sair do balé, da natação, mas não da aula de costura. É um momento muito feliz na semana dela”, conta Fernanda Tannure, mãe da menina. “Já fiz uma bonequinha, uma saia. Pedi para a vovó comprar uma máquina de costura para mim”, diz Maria Elisa.

Os projetos são feitos para conclusão em uma aula – as alunas já fizeram saias, aventais, bichinhos, corujas, almofadas, travesseiros. No processo, elas aprendem a cuidar de seus pertences – ganham uma cesta com linhas, alfinetes e outros artigos para a costura – e a ter planejamento. “Costurar ensina a planejar, organizar, ter cuidado. Desenvolve foco, atenção, objetivo, e tem a realização pessoal, a sensação do ‘eu que fiz’”, afirma Fernanda.

A costura e a culinária não estão sozinhas: quem quer algo mais animado também pode fazer curso de DJ. A DJ Lisa Bueno ensina os pequenos a mexer com vinil, CD e software em computador. As técnicas no curso, que tem nível básico e avançado, são as mesmas passadas aos adultos.

Entre panelas e formas
O sentimento de realização pessoal também é muito importante nas aulas de culinária. Na Mini Gourmet, idealizada pela chef e nutricionista Denise Haendchen, as crianças, além de produzirem e provarem as receitas feitas na aula, levam para casa uma amostra do que foi feito e a receita escrita para repetir. As aulas são feitas em um buffet infantil em Higienópolis – enquanto esperam os quitutes ficarem prontos, os pequenos aproveitam para brincar.

“A ideia é que fosse algo bem lúdico, sem obrigação. Elas fazem a receita e depois vão brincar. A junção dos dois funciona bem”, diz Denise, cuja própria filha também foi inspiração para o novo negócio. As aulas começaram há cerca de um ano, e no início eram feitas na casa da professora, para os amigos da filha Julia, de 5 anos. “O meu intuito é trazer a gastronomia para o mundo das crianças. Tento colocar coisas novas nas receitas. A criança tem que provar várias coisas. Se ela nunca conhecer, ela não come.”

As receitas são sempre voltadas para o universo infantil – bolos, tortas, biscoitos, bolinhos –, mas com ingredientes diferentes. Na aula acompanhada pelo G1, por exemplo, foi feito um biscoito de amendoim com linhaça, farinha integral e açúcar mascavo. Em geral, segundo Denise, elas aceitam bem os sabores. “O repertório de alimentos vai aumentando, elas passam a saber que a cozinha existe, e que há limites nela.”

Gabriel, de 4 anos, é um dos alunos que vão toda semana às aulas. Tímido, o menino se envolve e se suja na aula, para a alegria da mãe. “As refeições em casa sempre foram muito valorizadas. É preciso um cuidado com a criança para que ela veja o alimento como algo agradável”, diz ela. “Em casa a gente faz bolo, ele quer quebrar o ovo, misturar a farinha. E depois da aula ele começou a querer provar mais as coisas. Ele traz ingredientes muito diferentes.”

Na Mini Gourmet as aulas são voltadas para crianças de 3 a 10 anos, mas outras escolas de gastronomia promovem cursos esporádicos para os pequenos e até aqueles mais velhos, já adolescentes. No Tomazoni Gastronomia, em São Bernardo do Campo, no ABC, eles são alvo de cursos nas férias e no mês de outubro. Nos outros meses, às vezes há a presença de meninas nos cursos de confeitaria, acompanhadas das mães ou avós.

“A gastronomia não tem idade, comer nós precisamos todos. Para as crianças eu trabalho os sentidos, o olfato, a audição. Faço a valorização dos ingredientes, das ervas”, conta Ana Maria Ruiz Tomazoni, que cuida da escola de culinária no local há 25 anos. “É preciso paciência para fazer com que a criança descubra os sentidos, não só dar a receita. É preciso ensiná-las a se nutrir bem.”

Serviço:
Love Blankie

Telefone: 3846-4160

Mini Gourmet
Telefone: 9983-0098

Tomazoni Gastronomia
Telefone: 4121-5315

Tags: ,