Como fazer seu filho comer bem

Posted under Crianças, Crianças na cozinha, Nutrição

Li esta matéria no site da revista Crescer. Preste atenção: nela, diz que 46,3% dos leitores cozinham com o filho apenas uma vez por mês. Pouco, não?

Produção Silvia Goichman

Por Thais Lazzeri

A resposta é: depende de você. Descubra como não errar na hora das refeições. E confira nossas dicas para fazer (mesmo!) seu filho se alimentar corretamente

1. Mandar as crianças para fora da cozinha enquanto você prepara a refeição
Seja por falta de tempo, seja por medo que eles se machuquem, às vezes encaminhamos a criança para fora da cozinha enquanto preparamos a próxima refeição. Pesquisa da Universidade de Columbia (Estados Unidos) com alunos mostrou que cozinhar junto com o filho pode mudar os hábitos alimentares dele. Mais de 600 estudantes começaram a ter aulas de nutrição, e alguns passaram a cozinhar também. Os que colocaram as mãos na massa comeram mais vegetais do que aqueles que não tiveram essa oportunidade. 46,3% dos leitores cozinham com o filho apenas uma vez por mês

O QUE FAZER: Envolva seu filho nessa atividade – as chances de ele provar novos alimentos são maiores. Se ele for pequeno, peça ajuda para lavar uma fruta ou misturar alguns ingredientes. Essa intimidade com a cozinha vai render novos frutos, e você vai ver seu filho sorrindo enquanto cozinha.

 2. Pressionar os filhos a comer mais um pouco (do que eles não querem)
Novos estudos mostram que forçar a criança a comer mais não adianta, porque ela não vai passar a gostar do que acabou de provar. Os pesquisadores fizeram o teste: eles pediram para as crianças provarem leite e alguns vegetais e disseram que elas poderiam ver televisão enquanto comiam. De fato, elas provaram. Mas a maioria disse que não gostava do que comeu. Ou seja: por um breve período elas vão comer, mas não significa que vão gostar.

O QUE FAZER: Deixe a recompensa de lado. A primeira dica (que funciona mesmo) é dar o exemplo. Ponha os alimentos à mesa e encoraje a criança a comer com você.

3. Deixar as “guloseimas” longe das crianças
As guloseimas ficam escondidas na prateleira mais alta? Pode parecer distante do que acontece em sua casa, mas, quando pesquisadores norte-americanos deixaram algumas crianças com livre acesso a cookies, os pequenos comeram três vezes menos do que quando os doces estavam trancafiados.  61,9% dos leitores mantêm as guloseimas fora
do alcance das crianças

O QUE FAZER: Compre alguma guloseima e leve para casa apenas para o fim de semana. Este é outro jeito de controlar o consumo sem precisar brincar de esconde-esconde.

4. Fazer dieta
Mesmo que você precise fazer um regime com restrição calórica, a boa dieta preza por uma alimentação balanceada. Estudos mostram que fazer regime sem acompanhamento médico, em que você exclui algum grupo de alimento a esmo, pode atrapalhar a alimentação das crianças.

O QUE FAZER: Uma dieta equilibrada engloba todos os grupos alimentares; assim, naturalmente, a alimentação de sua família vai ser boa.

5. Oferecer verduras e legumes sem-graça
Quem já viu um prato sem-graça sabe bem como ele não ajuda a abrir o apetite. Tudo bem – não é todo dia que você tem ânimo para fazer uma superprodução, mas a ideia não é essa mesmo. As verduras e os legumes precisam parecer mais atrativos. 59% dos leitores já apresentaram verduras e legumes com uma aparência sem-graça

O QUE FAZER: O trabalho começa na hora da compra. Vegetais frescos têm aparência melhor. Aqueles que precisam ser preparados no vapor, cuide para não deixá-los passar do ponto, desligando o fogo quando eles ainda estão crocantes.

6. Desistir rápido demais ao oferecer um novo alimento
Salada de cenoura crua ou cozida. Bolinho de cenoura ou cenoura refogada com carne. Purê de cenoura ou sopa. Suco com cenoura, bolo de cenoura etc. Este é o exemplo que você precisa seguir em casa antes de dizer que seu filho não come – e não gosta – de determinado alimento.

O QUE FAZER: Os pediatras aconselham a oferecer o mesmo alimento, pelo menos, de sete jeitos diferentes antes de desistir. Não é um exagero. A jornalista norte-americana Miriam Weistein, autora de The Surprising Power of Family Meals, vai além. Para ela, deve-se usar a regra dos 20: significa tentar no mínimo 20 vezes. Claro, não precisa ser no mesmo dia nem em datas consecutivas. Aí sim, você pode dizer que ele não gosta.

Tags: , , ,